The Other Side

Tudo nesse mundo há um outro lado. O bem e o mal, a paz e o caos, o ying e o yang. Um segredo que poucas ou algumas pessoas sabem. Você também tem um lado que esconde quem você realmente é.
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Menu
De olho na trama
As coisas mudaram... E mudanças nem sempre são coisas ruins, mas algumas podem ser complicadas, bastante complicadas. O mundo tornava-se outro, os antigos mestiços criados pelos demônios e anjos haviam sido exterminados, um grupo radical contra a mestiçagem havia sido responsável por isso. Alguns diziam defender a soberania de cada espécie, bem ou mal, o equilíbrio não podia dar conta de espécies tão poderosas e quase todos os mestiços criados haviam sido mortos. Quase... Victória, a híbrida filha de Kirei e Samantha (Uns dos primeiros personagens do TOS), ainda sobrevivia, mas para que sua vida fosse preservada, agora, ela não mais contaria com a ajuda de Evie Farrier e Kirei, personagens poderosos que sempre atraem atenção pra si, seria por ela mesma. Sozinha no mundo, para própria segurança, Victória irá conhecer um mundo sobrenatural diferente do que estava acostumada... Tritões, Fadas, Elfos... Havia muito mais sobre o mundo do que se imaginava e cada dia virará uma experiência completamente diferente. Com apenas 18 anos de, mas muita coragem, Victória tem de sobreviver às recompensas pela sua cabeça e aos extremistas que precisam eliminar os mestiços. Todavia, a garota não estará só. Os amigos e fiéis a Kirei, Evie e Samantha ainda protegerão a menina, mas isso será o bastante? Em que time você, The Other Side‎, irá jogar? - Um aliado dos primeiros players do TOS? - Um extremista? - Um caçador de recompensas? - Ou talvez queira ser apenas um sujeito normal... Dessa vez, a trama é inteiramente sua.
Banner The Other Side
Parceiros
TOS
TOS
Fórum grátis
TGHRPG
TGHRPG
Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 8 em Sab Ago 27, 2016 12:26 pm

Compartilhe | 
 

 O Enigma de Osíris ~Missão~

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
O Ceifador

avatar

Mensagens : 8
Data de inscrição : 08/04/2011

MensagemAssunto: O Enigma de Osíris ~Missão~    Sex Fev 03, 2012 3:17 pm

Esta será uma missão ofertada para três players e passará por três fases, onde pode envolver resolução de enigmas ou batalhas. O primeiro a cumprir todas as fases irá ganhar um ótimo prêmio, porém sempre que ao concluir uma fase poderá ganhar algo. Ou seja, no meio da missão haverá recompensas pelo esforço.

Os três primeiros a se inscreverem aqui apenas informando o seu desejo de participar da missão irão seguir em frente para o primeiro passo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Sex Fev 03, 2012 3:24 pm

- Me alistando para missão!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Sex Fev 03, 2012 3:30 pm

- Me alistando para missão!²
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Sex Fev 03, 2012 3:47 pm

Me alistando para a missão ³
Voltar ao Topo Ir em baixo
O Ceifador

avatar

Mensagens : 8
Data de inscrição : 08/04/2011

MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Sex Fev 03, 2012 7:53 pm

Era por volta das nove hora da manhã quando a sombra de um vulto mexeu-se nas dunas. Algo estranho e perigoso caminhava pelas areias do Egito, agitando tudo ao seu redor. Atrás dele vinha uma grande tempestade, um prelúdio de que algo grande estava para acontecer. Algo cuja gênesis ainda era desconhecida.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Kauê

O mutante estava saindo de um bar depois de ter passado a noite neste, mal podia lembrar do que tinha acontecido na noite passada, seja por ter bebido demais ou ingerido algo desconhecido. Ao que importava, restava-lhe apenas uma forte enxaqueca e uns trocados para ir a farmácia comprar algo que curasse sua cabeça que parecia uma bomba relógio.

Este estava saindo da farmácia mais próxima quando um vulto entrou dentro de um beco. Todos os seus instintos lhe gritaram algo estranho, para fugir ou se aproximar? De fato aquele acontecimento era forte o suficiente para mexer com os sentidos mutantes do jovem. Por curiosidade ou falta do que fazer, Kauê dirigiu-se para o beco e nada encontrou além de um local sem saída. Já estava para desistir quando algo na parede lhe chamou a atenção. Uma pirâmide começou a ser desenhada com quase um metro de altura. O desenho era feito como se estivesse gravado na parede a séculos e estivesse se revelando apenas agora. Dentro da pirâmide havia três imagens e uma delas chamava a atenção de forma anormal. Kauê estava atraído e mesmo sem entender muito bem sabia que tinha de tocá-la.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Ravyn

O vampiro estava em casa quando tudo aconteceu. Acabava de acordar de um pesadelo em que era devorado por insetos e precisava de uma pequena dose de sangue que guardava para poder acalmar-se. Era apenas um pesadelo... Mas vampiros não tinham tantos pesadelos e aquele havia sido real demais para ser ignorado.

Pensava nisso enquanto bebia de seu aperitivo quando um tremor no chão fez a casa toda balançar e em sua parede uma pirâmide aparecer. O desenho era feito como se estivesse gravado na parede a séculos e estivesse se revelando apenas agora. Dentro da pirâmide havia três imagens e uma delas chamava a atenção de forma anormal. Ravyn estava atraído e mesmo sem entender muito bem sabia que tinha de tocá-la.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Derek

A noite toda de caça havia sido em vão. Derek não pode encontrar nada que levasse aos assassinos que buscava com tanto vigor. Nada parecia levá-lo a uma pista sequer e isso por algumas vezes o desestimulava. Sem muitas opções, Derek era obrigado a procurar um lugar para descansar já que não havia dormindo muito.

Estava a procura de um hotel ou pensão, qualquer lugar pelo qual pudesse desabar quando um vulto passou a sua frente e adentrou uma loja velha e abandonada, passando pela porta sem ao menos abri-la. O que era aquilo? Só havia um jeito de descobrir que era adentrando ao local. Dentro da loja nada havia, nenhum móvel ou acentos, apenas teias de aranha e muito poeira... Além de um estranho desenho de uma pirâmide que começava a surgir na parede. O desenho era feito como se estivesse gravado na parede a séculos e estivesse se revelando apenas agora. Dentro da pirâmide havia três imagens e uma delas chamava a atenção de forma anormal. Derek estava atraído e mesmo sem entender muito bem sabia que tinha de tocá-la.




Orientações
•Todos devem escolher apenas um dos desenhos da imagem a seguir e postar que ao tocar o desenho tudo escureceu e uma força começou a puxá-los para baixo.
•Derek mandou mp avisando que não poderá postar até segunda-feira, portanto a missão continuará quando ele postar, foi por justa causa. Para que os outros dois não fiquem sem fazer nada, será permitido que até que Derek post, Kauê e Ravyn possam fazer treinos para ganhar experiência, sendo isso permitido apenas porque é o inicio da missão e nenhuma situação crítica ainda foi feita.


Imagem da Pirâmide
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Sex Fev 03, 2012 9:08 pm

Ravyn acordou em sua cama, completamente suado, como toda vez que tinha um pesadelo. Ou seja, quase nunca. A primeira coisa que fez quando acordou foi apalpar o travesseiro e a cama, como que para ter certeza de que estava em casa. Relembrou-se do pesadelo: Era devorado por centenas de insetos. Eram tantos que não conseguia escapar. Aquela visão fora muito real, não podia ignorar. Mas tinha que se acalmar. Levantou-se da cama e pegou a garrafa de True Blood que estava na cabeceira da cama. Tomou um longo gole, sentindo o sangue engarrafado na boca. Engoliu após degustar, deixar o gosto do sangue dominar sua boca.

Então, de repente, um tremor percorreu a casa, fazendo-o quase se engasgar. Algumas gotas da bebida pingaram no chão. Viu na parede atrás da cama uma pirâmide aparecer, como se estivesse ali desenhadas à séculos. O desenho do Olho de Hórus chamava-lhe a atenção. Pegou as adagas e o bastão, que estavam embaixo do travesseiro. Colocou as adagas nos bolsos, e o bastão no bolso direito, junto com uma das adagas wicca. Por fim, sem nem saber direito porque, tocou o Udyat. Tudo escureceu, de repente, e sentiu uma força puxá-lo para baixo. Por algum motivo, não tentou resistir.

Símbolo Escolhido
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Dom Fev 05, 2012 3:01 pm

Estar bêbado não costumava me dar alucinações, disso eu estava convicto. Todavia, aqueles desenhos na parede... Eu nunca diria que aquilo era real se eu ouvisse de um cara de ressaca, mas como eu era esse cara, dei algum crédito a minha pouca imaginação, aquilo devia mesmo ser real.
Uma pirâmides e três símbolos egípcios, podiam ser quaisquer três, mas dentre eles lá estava...
O Símbolo do destino, mas quantas vezes eu teria que me provar que DESTINO não existe?
Provei quando fugi de casa, largando uma vida estável, um lar acolhedor pelo mundo congelante e espinhoso da liberdade. Sem regras, sem destino... Apenas a minha alma pelo melhor preço e o resto apenas sobras.
A droga da imagem estava roubando toda minha atenção para si, ela brilhava como se risse... Okey, era uma visão boêmia e infantil, imagens não riem - mesmo aquelas que estão dentro de uma pirâmide formada na sua frente em um beco de sabe-se lá onde.
O impulso de tocar o destino - ou a imagem dele que fosse - foi mais forte do que a mínima capacidade de raciocínio que eu possuía ali.
Arrependimento não mata, sei disso porque estive vivo até aqui e tive mais certeza depois que toquei aquele maldito símbolo do destino.
O mundo apagou-se diante de mim e o chão sumiu ou sei lá o quê, pois eu sentia algo me puxar para baixo, mas não tinha mais o que descer. A terra já é inferno suficiente.
-
Merda, isso é pior que cocaína. - Resmunguei antes da escuridão me engolir por completo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Seg Fev 06, 2012 1:24 pm

O Enigma de Osíris

Fora mais um dia em vão. Estava praticamente o dia todo procurando por alguma pista mais como o resto de toda a semana eu não havia conseguido nada a não ser cansaço. O que ajudava era que eu havia me alimentado há pouco tempo. Agora eu me concentrava em achar um lugar para dormir, pois não aguentaria ficar aquela noite em casa. Precisava de uma boa noite de sono. Atravessei a rua continuei a andar, porém quando olhei para o lado vi um vulto e o mesmo entrou em uma loja que por fora tinha a aparência que havia sido abandonada. O que mais me intrigou foi o fato de o vulto ter atravessado a porta. O que seria aquilo? Bom, eu teria que entrar para descobrir. Abri a porta da loja enquanto a mesma rangia, olhei para os lados enquanto o meu corpo era infestado de teias de aranha e poeira. Não havia nada a não ser uma imagem de uma pirâmide gravada na parede. A mesma parecia ser tido gravada a séculos, olhei atentamente a mesma, a analisei, vi três imagens e uma delas chamava a minha atenção de tal forma que eu não podia descrever. Retirei meu canivete do bolso, ele poderia ser útil. Algo em minha cabeça dizia que eu tinha que toca-la e foi isso que eu fiz. Assim que minha mão tocou na figura tudo escureceu e uma força me puxou para baixo. Agora só restava esperar para ver o que acontecia.

OBS: Não sei qual foi o simbolo que o Kauê escolheu, portanto não botei em meu post com qual eu fiquei. Como fui o último a postar eu sei fiquei com o que sobrou, só gostaria que me informasse com qual eu fiquei.
Voltar ao Topo Ir em baixo
O Ceifador

avatar

Mensagens : 8
Data de inscrição : 08/04/2011

MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Ter Fev 07, 2012 3:32 pm

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Kauê

O garoto após sentir a sensação de queda finalmente a sentiu literalmente, caindo sobre um chão empoeirado e com um cheiro de mofo muito forte. Ao levantar-se pode perceber que tudo era extremamente escuro, não podendo enxergar um passo a sua frente. Aquilo apenas provava que aquela pirâmide era como um mediador teletransportador, ao tocar no símbolo escolhido fora levado a algum lugar.

Não passado mais que cinco minutos, tochas começaram a se ascender revelando um corredor não muito estreito, mas completamente fechado. Um caminho que levava até uma sala aberta e redonda, onde havia um sarcófago no centro e este estava aberto. As paredes havia hieróglifos egípcios por toda a sua extensão, até mesmo o chão estava coberto por aquelas imagens enigmático que pareciam contar uma história. Atrás do sarcófago estava um trono de ouro e sentado nesse um homem, um verdadeiro faraó.

-Então és tu o escolhido para resolver o Enigma de Osiris, patético como os deuses decaíram na escolha para um herói – o faraó falava com perfeita clareza, na língua em que Kauê conhecia – Permita-me explicar vossa situação. Terás de resolver certos problemas ou morrerá tentando. Primeira fase... terá de descobrir quem eu sou, sem segundas alternativas.

O faraó ergueu-se e começou a falar como se contasse uma história.

-Obviamente sou um faraó. Tenho parentesco com Dário e Ciro, o Grande. Fui famoso, ah se fui! Tive dois irmãos e batalhei contra os gregos em uma batalha importante, também fui imperador de outro reino. Grande lista as coisas que eu fiz! Porém, ao pensar que era um deus fui provado do contrário ao ser morto em Salamina. Agora, quem dizes que sou eu?


▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Ravyn


O garoto após sentir a sensação de queda finalmente a sentiu literalmente, caindo sobre um chão empoeirado e com um cheiro de mofo muito forte. Ao levantar-se pode perceber que tudo era extremamente escuro, não podendo enxergar um passo a sua frente. Aquilo apenas provava que aquela pirâmide era como um mediador teletransportador, ao tocar no símbolo escolhido fora levado a algum lugar.

Não passado mais que cinco minutos, tochas começaram a se ascender revelando um corredor não muito estreito, mas completamente fechado. Um caminho que levava até uma sala aberta e redonda, onde havia um sarcófago no centro e este estava aberto. As paredes havia hieróglifos egípcios por toda a sua extensão, até mesmo o chão estava coberto por aquelas imagens enigmático que pareciam contar uma história. Atrás do sarcófago estava um trono de ouro e sentado nesse um homem, um verdadeiro faraó.

-Espero que não estejas machucado jovem escolhido, pois teu desafio começa apenas agora – falava o faraó, cruzando as pernas em espera – Para aliviá-lo de sua preocupação e indagações em tua mente, dar-lhe-ei as respostas que almeja. Fora escolhido pelo deus Ósiris para poder participar de seu Enigma e é bom que responda a minha pergunta com certeza ou morrerás.

O Faraó apenas suspirou observando a reação do garoto, apoiou o cotovelo no braço do trono e apoiou a cabeça em sua mão enquanto falava como se lembrasse de algo a muito tempo esquecido.

-Nada se sabe muito sobre mim, o que provavelmente dificulta sua vida jovem, mas posso dizer-lhe que fui um usurpador e reinei na XIX dinastia egípcia. Meu nome significa escolhido por Rá, o que duvido muito e isto talvez tenha me levado a este lugar. Aqui vai a pergunta e espero que responda rapidamente pois não tenho muito tempo. Quem sou eu?


▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Derek


O garoto após sentir a sensação de queda finalmente a sentiu literalmente, caindo sobre um chão empoeirado e com um cheiro de mofo muito forte. Ao levantar-se pode perceber que tudo era extremamente escuro, não podendo enxergar um passo a sua frente. Aquilo apenas provava que aquela pirâmide era como um mediador teletransportador, ao tocar no símbolo escolhido fora levado a algum lugar.

Não passado mais que cinco minutos, tochas começaram a se ascender revelando um corredor não muito estreito, mas completamente fechado. Um caminho que levava até uma sala aberta e redonda, onde havia um sarcófago no centro e este estava aberto. As paredes havia hieróglifos egípcios por toda a sua extensão, até mesmo o chão estava coberto por aquelas imagens enigmático que pareciam contar uma história. Atrás do sarcófago estava um trono de ouro e sentado nesse um homem, um verdadeiro faraó.

-Cuidado para quem olha, garoto, não é digno de ver alguém como eu. Espero que morra nesse desafio proposto por Osiris, mas infelizmente sou forçado a cumprir minha parte. Então escute com atenção e responda... Se errar, morrerás – o Faraó levantou e ficou andando de um lado para o outro – Sou o melhor de meu nome, apesar de ter outros com o mesmo. Minha amada esposa chama-se Nerfetari apesar de ter tido outras. Fui traído pelo meu próprio exercito em uma batalha importante, mas roguei a Amon pelo meu destino e lancei-me contra um verdadeiro exercito sozinho. Amon escutou-me e me transformou em um poderoso guerreiro. Por mais que ousem dizer o contrário, esta é a verdade! Então, ser insignificante, quem eu sou?





Orientações
•Cuidado com a resposta pois errando será eliminado, de que forma apenas a qualidade de seu post irá dizer.
•É permitido que pesquisem sobre esses faraós, mas cuidado na hora da interpretação, arranjem um motivo um pouco que lógico para saberem quem ele é ou o motivo de você estar dizendo esse nome.
[/color]

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Ter Fev 07, 2012 10:24 pm

Mutante com intangibilidade, não mutante teletransportador.
Aquela coisa toda me deu náusea e e o ar de repente estava seco demais e tudo escuro demais, parecia um pesadelo daqueles que você muda de um lugar para outro sem quê nem pra quê.
Escuro - Claro. Meus olhos doeram quando todas aquelas tochas acenderam, tava começando a ficar irritante, além de estranho.
Andei pelo corredor, sentindo-me um rato de laboratório, odiava ficar encurralado da forma como eu estava, alguém tinha de apanhar! De preferência não eu...
Aquela sala meio egípcia, toda aquela tonalidade faraônica, e hieróglifos me deixaram confuso, era real demais para ser sonho e bem feito demais para ser réplica, comecei a tocar nas coisas e perceber suas formas e texturas a fim de conhecer o material das coisas e as possibilidades de fuga.
Dei de cara com um cara morto, parecia um faraó, mas... Faraós não deviam ficar mumificados, dentro dos sarcófagos em algum museu?
-
Certo, tem um morto poderoso falando comigo. Eu estou numa profissional do sexo ressaca e agora eu tenho que saber quem o morto é... Acorda, Kauê.
Quem dera fosse um sonho ou eu tivesse ido para o ensino médio, sem saber de imediato eu resolvi ficar quieto e pensar. Então, sentei e fiquei olhando para o faraó.
Olhei, olhei, olhei...
Salamina, hãm? Eu até gostava do Egito, odiava na verdade. Tudo que eu sabia advinha do triste fato de eu odiar o destino, portanto, eu quis saber sobre algumas coisas que nem lembrava naquela hora... Tá, mentira. Eu sabia do simbolo por que eu não gostava dele, fora isso só aquele cara legal do filme, pesquisei um pouco e tal.
O cara queria ser um Deus, huh? Ah! Claro! O cara que queria estar além de tudo, mas caiu na besteira de comparar poder a soberania divina e virou presunto. Ah, a quem eu tava enganando?

- Tudo bem, Xerxes, eu assisti trezentos. Achei você f*da e pesquisei sua vida.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Ter Fev 07, 2012 10:35 pm

O Enigma de Osíris

Certo, meu humor não estava um dos melhores, agora eu estava sentindo a sensação de estar caindo quando finalmente cai. Me levantei desajeitado olhando a volta, mas só havia um único problema; eu não conseguia ver nada. Estava um breu total no neste lugar que eu havia acabado de cair. Fora o escuro somente uma coisa me incomodava mais; o fato de eu não saber onde estava. O que eu me lembrava era de ter encostado na imagem e ter mergulhado em um poço infinito de escuridão. Tentava forçar os olhos para tentar enxergar alguma coisa, porém não adiantava de nada. Ergui minhas mãos e tentei tocar em algo, dei um passo a frente e tropecei em uma pedra batendo com a cabeça na parede. Comecei a me xingar mentalmente enquanto pensava em alguma maneira de sair daquele local.

Passado alguns minutos tochas se acenderam. Finalmente podia ver onde eu havia sido levado. Parecia uma espécie de caverna. Um corredor estava a minha frente. Assim que olhei em volta percebi que o local era completamente fechado. Neste instante pensei em como havia parado ali, porém algo em mim dizia para eu ir pelo corredor. Segurei meu canivete e este era a minha única arma naquele local. Caminhei pelo corredor enquanto examinava cada detalhe do local desconhecido. Eu queria saber onde eu estava, mas, como sempre, eu mesmo teria que procurar as respostas por conta própria. O corredor me levou para uma sala aberta e redonda. As paredes eram cobertas de desenhos que pareciam contar alguma história que por mais que eu estivesse tentando não conseguia entender o que era. Observei cada parte da sala e avistei um sarcófago aberto. Atrás do mesmo havia um trono e sentado no mesmo havia um homem. O olhei atentamente, abri minha boca para fazer algumas perguntas, porém o homem começou a falar e eu me calei escutando com atenção tudo o que ele dizia.

Assim que o mesmo acabou de falar engoli em seco. Um enigma? Eu não era bom com essas coisas. Repeti o que ele havia dito mentalmente e não conseguia saber quem ele era. Respirei fundo me acalmando e novamente recitei o que ele havia dito em minha cabeça. “Sou o melhor de meu nome, apesar de ter outros com o mesmo.” Ok, não entendi esta parte então resolvi ir para a próxima frase. “Minha amada esposa chama-se Nerfetari apesar de ter tido outras.” O nome de sua esposa me lembrava alguma coisa porém eu não conseguia identificar. Resolvi passar essa parte para ver se me lembrava depois. “Fui traído pelo meu próprio exercito em uma batalha importante, mas roguei a Amon pelo meu destino e lancei-me contra um verdadeiro exercito sozinho. Amon escutou-me e me transformou em um poderoso guerreiro. Por mais que ousem dizer o contrário, esta é a verdade!” Certo, essa parte não ajudou muito. Repassei a parte da esposa novamente em minha cabeça e me lembrei de minha mãe me contando uma história. A mesma era sobre Nerfetari. Ela era casada com... Droga, havia esquecido o nome. Repassei em minha cabeça a história, mas não adiantava, naquele momento de nervosismo eu não conseguia lembrar de nada. Me acalmei e repassei várias vezes em minha cabeça até que resolvi arriscar. Ergui meu rosto e encarei o faraó dizendo com a voz meio receosa;

Você é Ramsés II.

Esperava que a resposta estivesse certa. Caso contrario, provavelmente, eu iria morrer.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Sex Fev 10, 2012 1:59 pm

Ravyn sentiu-se caindo. E então, um impacto. Caira deitado em um chão empoeirado. O cheiro de mofo fez-lhe espirrar algumas vezes antes de, meio trôpego e tonto, se levantar. Aquele lugar era completamente escuro, não conseguia ver nem sua própria mão. Aquela pirâmide era alguma coisa que teleportara-o para algum lugar. O vampiro tentou relaxar, colocar os pensamentos em ordem. Após alguns minutos, algumas tochas ligaram-se, iluminando um corredor estreito. Sacou suas Adagas Wicca e andou. No final dele, viu uma sala grande e redonda. Olhou as paredes e viu hieróglifos. Sussurrou, para si próprio:

- Egito.

Sim, estava no Egito. Provavelmente dentro de uma pirâmide. Olhou, procurando um sarcófago e achou-o, aberto. Seguiu o olhar e viu o trono, nele sentado um faraó. Aproximou-se enquanto ouvia-o:

- Espero que não estejas machucado jovem escolhido, pois teu desafio começa apenas agora. Para aliviá-lo de sua preocupação e indagações em tua mente, dar-lhe-ei as respostas que almeja. Fora escolhido pelo deus Ósiris para poder participar de seu Enigma e é bom que responda a minha pergunta com certeza ou morrerás. - Estremeceu de leve, com a possibilidade de morte. Reverenciou-o rapidamente, em respeito, mesmo sabendo que reverenciava um morto. Ouviu-o contar, provavelmente, sua história:

- Nada se sabe muito sobre mim, o que provavelmente dificulta sua vida jovem, mas posso dizer-lhe que fui um usurpador e reinei na XIX dinastia egípcia. Meu nome significa escolhido por Rá, o que duvido muito e isto talvez tenha me levado a este lugar. Aqui vai a pergunta e espero que responda rapidamente pois não tenho muito tempo. Quem sou eu?

A pergunta surpreendeu um bocado Ravyn. Mas então pensou. Em sua mente, vieram todas as aulas de história que tivera. Sempre prestara atenção nas aulas. O sangue engarrafado que tomara a pouco fazia-o raciocinar rapidamente. Pensou nas aulas sobre o Egito Antigo. A professora fizera-os decorar todos os faraós, o que era realmente chato. Mas enfim, fora útil. Pensou nos da Dinastia XIX, como o faraó havia falado. Haviam 8 faraós: Ramsés I, Seti I, Ramsés II, Merneptah, Amenmesés, Seti II, Siptah, Tausert. Descartou alguns de cara, por serem muito conhecidos, principalmente Seti I. Sobrou Ramsés I e Amenmessés. Ramsés significava Criado por Rá, portanto também descartou. Sobrou apenas o último. Esforçou-se, sabendo que demorava um pouco, lembrando-se da história dele. Era um usurpador, assim como tinha falado. Olhou em volta, e viu que alguns lugares das paredes estavam raspados. Onde seu nome fora apagado. Tudo se encaixou. Falou, confiante:

- Você é Amenmessés, governou de 1204 a 1200 a.C. Teve seu nome apagado de todos os registros.

Abaixou a cabeça.

Como são as inscrições sem o nome escrito, ou seja, apagados :
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
O Ceifador

avatar

Mensagens : 8
Data de inscrição : 08/04/2011

MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Sab Fev 11, 2012 7:25 pm

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Kauê

O olhar decepcionado que o faraó deu pareceu ser incerto em sua intenção, mas logo se fez perceber que a decepção dele vinha por Kauê ter acertado. Xerxes estalou os dedos fazendo que o teto de rocha acima da cabeça do mutante se abrisse lentamente e só depois de muito tempo um pouco de luz surgiu daquele buraco.

-Muito azar no próximo teste – desejou o faraó antes de retornar a sua tumba.

Então um manto negro aproximou-se do mutante e o pegou o levantando do chão, depois de muito prestar atenção e entender o que estava acontecendo, Kauê pode notar que estava sendo levado por vários tipos diferentes de insetos. Ele subiu pelo buraco até romper com a superfície, sendo jogado de qualquer jeito. Os insetos voltaram para dentro do buraco que fechou-se impedindo qualquer chance de retorno. Kauê estava em um local com um grande rio e uma vegetação ao redor, o famoso Rio Nilo. Mal o garoto pode levantar-se corretamente para que a sua frente aparecesse um homem com cabeça de pássaro.

-Mate-me ou morra – disse o homem com cabeça de pássaro.

Ele invocou a sua frente um pergaminho e começou a pronunciar coisas em egípcio.

Poderes do adversário:
• Invocar Múmias

Inimigo:
 


▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Ravyn

O faraó ao escutar a resposta de Ravyn fez o ‘Oh’ de tédio e finalmente levantou de seu trono, espreguiçando-se como se não fizesse aquilo a muito tempo. Ele aproximou de Ravyn em uma velocidade surreal, segurou o garoto pelos ombros e falou com tédio:

-Boa sorte de qualquer forma. Seu próximo desafio vai ser mais agitado.

O faraó então estalou os dedos e Ravyn começou a ser sugado para baixo como se estivesse em uma areia movediça. Ele nada pode fazer além de se debater e quando conseguiu sair da situação, estava no meio de um deserto, enfrente a uma pirâmide. Encima de uma duna estava seu inimigo, um homem com cabeça de cachorro segurando uma arma que provavelmente ele nunca vira antes.

-Mate-me ou morra – desejou o inimigo.

O inimigo avançou rapidamente, porém sua sombra parecia crescer de forma anormal enquanto este avançava, formando outro ser ao lado de si.

Poderes do adversário:
• Umbracinese que controla apenas a própria sombra para o ataque.

Inimigo:
 


▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Derek

O garoto por fim respondeu. O faraó o olhou um tanto surpreso por ter acertado e balançou a cabeça e os ombros em um jeito que parecia ser: “fazer o que se ele acertou?”. O faraó nada disse, apenas balançou a mão de um jeito que parecia mandar que Derek saísse como se espantasse um cachorro indesejado... Mas aquilo era apenas uma ordem, mãos de areia saíram da parede e pegaram o garoto, o sugando para dentro dela e o jogando logo depois em um oásis.

Como todo oásis, aquela parte parecia ser o paraíso no meio do deserto. Porém no centro dele estava uma mulher com cara de gato, segurando uma arma que provavelmente o garoto desconhecia.

-Mate-me ou morra – falou a mulher apontando a arma para o garoto.

Suas unhas se alongaram e o sorriso felino pareceu extremamente perigoso.

Poderes do adversário:
• Super agilidade, equilíbrio e unhas muito, mas muito afiadas.

Inimigo:
 


Instruções

• Para essa fase é necessário um one-post de batalha.
• Irá lutar e derrotar o inimigo
• Dica importante: o inimigo será muito difícil... até o momento em que descobrir quem ele é e assim o símbolo que você escolheu no inicio da missão aparecerá no corpo dele, ao acertar no símbolo o dano é praticamente triplicado.
• Vocês irão escolher o local onde o símbolo irá aparecer e narrar o adversário como qualquer outra missão narrativa.
• O prazo é até quarta-feira.

Obs: perdão por dar um prazo tão grande, mas em off estarei muito ocupada até quarta-feira, onde acaba a maior pressão na faculdade, não poderei fazer nada antes disso, por isso a escolha de fazer uma das fases one-post.
[/justify]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Dom Fev 12, 2012 9:48 am

Ravyn esperou a resposta com certa ansiedade. Na verdade, não tinha total certeza se aquele faraó era Amenmessés, apesar de todas as dicas dele baterem e de ter falado com confiança. Afinal, podia ter esquecido algum faraó. Quando ouviu o “Oh” de tédio, levantou uma sobrancelha. Viu ele se levantar de seu trono e espreguiçar-se. Na mente do vampiro, crescia a ansiedade, pois ele podia tanto parabeniza-lo quanto... mata-lo. Quando ele se aproximou, surrealmente, apesar de talvez poder alcançar essa velocidade também, por ser descendente de Lilith, sentiu ele segurando seus ombros. Começou a suar frio, mas, quando ouviu a fala dele, se acalmou, talvez pelo tédio com a qual ele falou, e pela revelação:

- Boa sorte de qualquer forma. Seu próximo desafio vai ser mais agitado.

“Próximo desafio? Então eu acertei?!”, pensou o Ollicourt, comemorando mentalmente. Viu-o estalar os dedos, então sentiu o chão puxá-lo, de novo, como se estivesse em areia movediça. Seria esse o tal desafio. Esperneou, tentando manter-se em pé, na sala, mas continuava sendo levado para baixo. Quando finalmente conseguiu se livrar da situação, olhou em volta. Viu um deserto, inacabável. Talvez o Saara, talvez algum lugar perto do Nilo. Não tinha como saber. Apenas viu uma pirâmide à sua frente. Não conseguiu, nem queria, saber se era a que estava antes. Nem teve tempo. Viu uma silhueta em cima de uma duna. Um homem com cabeça de cachorro, segurando uma arma que parecia com uma foice. Relembrou-se dele em alguma aula sobre o Egito, mas não se lembrou de cor. Talvez obtivesse vantagem sobre ele se descobrisse quem era. Ouviu o desejo daquele ser:

- Mate-me ou morra.

O menino sacou suas adagas Wicca. “Tudo aqui é com risco de morrer, não?” O homem-cachorro avançou rapidamente. Notou que sua sombra aumentava, formando outro ao lado dele. Mas Ravyn correu, mais rápido que ele, visto sua descendência, mais rápido que ele, primeiro contornando-o de longe, depois indo para a pirâmide. Tinha que ter alguma vantagem, mas não podia estar muito longe, pois a arma dele era de longo alcance, as do vampiro não. Escalou dois níveis de pedras da pirâmide, antes de parar. Agora tinha a mesma altura que o ser. Virou-se a tempo de defender um golpe com a “foice” dele com as duas adagas, colidindo suas lâminas contra a parte de dentro da dele. Mas tal ser era forte, fazendo com que Ollicourt recuasse e, quando tirou as adagas e saltou para trás, ganhasse um corte superficial na mão esquerda. Não pingou sangue, mas ardia. Só então percebeu que parara em algo sólido. Olhou para trás e viu-se recostado na sombra do adversário. “Como?!”, indagou, mentalmente, antes de levar um soco na bochecha e voar longe, caindo na areia na frente da pirâmide, de barriga para cima. Agora sim aquilo doía, um pouco de seu sangue pingou na areia, tingindo-a um pouco de vermelho. Levantou-se, aproveitando a agilidade. Então lembrou-se, em um estalo, quem era aquele ser. Gritou:

- Anubis!

Ele, que corria em sua direção, parou. Um Olho de Hórus apareceu no peito de Anúbis. Algo lhe dizia que deveria atacar ali, de algum modo. Então o ser voltou a correr, e Ravyn, quase impensadamente, correu na direção dele também. Quando aproximou-se, pouco antes de saltar para atacar, os dois (sombra e real) separaram-se de novo, cercando o vampiro, que olhou para ambos, percebendo a desvantagem. Na sombra não havia o Udyat. Portanto, impulsionou-se contra o original, que interceptou o movimento com o cabo da “foice”, fazendo um movimento circular e acertando a cintura do vampiro, fazendo-o cair para o lado, aos pés dele. Girou a arma e, quando ia cravá-la, Ravyn surpreendeu-o. Cravou uma das adagas no pé de Anúbis, num movimento instintivo, o que o fez urrar de dor. Golpe baixo, realmente. Estava na verdade improvisando, pois as adagas eram uma arma nova para ele (na verdade, nunca usara uma arma). Então girou para o lado do homem-cachorro, levantando-se e, enquanto ele tirava a adaga do pé, fazendo um corte ligeiramente profundo no peito dele, no símbolo egípcio. O ser urrou de dor, muito mais do que quando fora atingido no pé.

Ollicourt olhou para o inimigo, mas, com essa distração, foi pego desprevenido pela cópia, que deu uma rasteira nele e segurou os braços dele contra a areia. Anúbis se levantou, tirando a adaga do pé e jogando-a, com precisão, do lado da cabeça de Ravyn, propositalmente errando por pouco. Aproximou-se e girou a “foice”. A sombra tornou-se intangível novamente, e a lâmina fez um corte profundo na barriga do vampiro, que urrou de dor. Sangue saiu do corte, mais do que sairia em uma pessoa comum, por seus batimentos cardíacos serem mais rápidos que o normal, tingindo aquela parte da camisa de vermelho. Com os braços livres, com o que não segurava a adaga, colocou sobre o ferimento, pressionando, querendo estancar. E, em um movimento arriscado, jogou a Adaga Wicca de sua mão direita no Olho de Hórus, aproveitando que Anúbis girava a foice novamente. Imediatamente, quando a adaga cravou-se na pele dele, levou as mãos ali, urrando de dor, intensamente. Praticamente sentiu o chão embaixo de seus pés tremerem, mas não deixou-se amedrontar. A foice dele caiu no chão, ao lado dele, pois o ser liberou as mãos para levar à adaga. Com agilidade, o vampiro levantou-se e, num movimento ágil, pegou a Adaga cravada no chão, girou-a e trespassou-a no pescoço escuro do adversário. Não foi o suficiente para decapitar, mas o suficiente para fazê-lo sofrer e sangue negro cair no chão, misturando-se ao de Ravyn. Em um golpe final, cravou a adaga restante entre os olhos da cabeça de cachorro. O monstro caiu no chão. Os olhos apagaram-se.

O vampiro transbordava de raiva. Odiava lutar. Tirou a camisa, rapidamente, e fez um cinto com ela em volta da barriga, onde o corte quase profundo estava. Por sorte não fizera danos maiores. Amarrou com força, mesmo doendo. Precisava estancar o sangue. Lembrou-se do bastão no bolso esquerdo, não fora necessário, e talvez não causasse dano também. Sentou-se na areia, ao lado do corpo. Pegou as duas adagas wicca, descravando-as do cadáver. Não podia tomar aquele sangue negro, podia ser algo perigoso para ele, não tinha certeza. Portanto o vampiro guardou as adagas nos bolsos e olhou para o céu. Gritou, a plenos pulmões:

- Pronto, Osíris, derrotei seu enviado!

Abaixou a cabeça, arfando, a adrenalina abaixando. Lembrou-se da fala do faraó que encontrara, mentalmente: “Fora escolhido pelo deus Osíris para poder participar de seu Enigma.”, enquanto esperava o que ia acontecer.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    Ter Fev 14, 2012 1:39 pm

O Enigma de Osíris

Engoli em seco enquanto meu coração batia rapidamente. Será que eu havia acertado a resposta? Segurava meu canivete que era a única arma que eu tinha no momento e esperava o faraó dizer alguma coisa. Caso minha resposta estivesse errada eu tentaria me defender de todas as formas. Mas uma expressão de surpresa tomou o rosto do faraó me deixando mais ansioso, ele deu de ombros e em seguida balançou sua mão como se mandasse seu animal de estimação ir embora. Ergui uma sobrancelha e do nada senti algo me segurando. Quando me dei conta estava sendo puxado por uma mão de areia. Droga, eu deveria ter errado a resposta e agora eu morreria. Seria isso? Eu não tinha a mínima vontade de deixar essa mão me levar, comecei a me remexer tentando me soltar, porém a areia era mais forte. Quando percebi estava de frente para uma parede e esta me sugou.

Assim que fui jogado tinha quase certeza que estava indo ao encontro de minha morte, mas assim que abri os olhos percebi que estava em um Oasis. Olhei o deserto que estava um pouco longe e tentei achar alguma coisa. Até agora tudo estava muito confuso para mim, o que era esse desafio proposto por Osíris e com que finalidade? Olhei para o centro do Oasis e distingui algo, era um vulto, me aproximei e vi que era um ser estranho. O mesmo segurava uma arma de forma esquisita. Vi que era uma mulher, aparentemente ela era normal até que olhei para seu rosto e o mesmo era uma cara de gato. Ouvi o que ela disse e dei um sorriso. Certo, agora eu teria que enfrentar uma mulher que tinha cara de gato. Pude perceber que ela tinha unhas muito afiadas e isto era algo que eu teria que tomar cuidado. A vi sorrindo e dei um sorriso em resposta. A luta começaria.

Em poucos segundos percebi que a mulher era rápida e ágil. Ela se esquivava de meus ataques com perfeição e revidava de maneira inesperada e incrível. Estava usando minha velocidade para tentar confundi-la, mas foi em vão. Assim que pensei que a mulher havia dado uma brecha em sua defesa ataquei desferindo um ataque contra suas costas, mas a mesma bloqueou o ataque com sua arma esquisita. Antes que eu pudesse fazer algo a mulher me atacou com suas garras fazendo um corte feio em meu braço direito. Vendo que eu acabaria me machucando mais nessa hora me afastei um pouco. A mulher tinha uma expressão ilegível. Ela me lembrava duma pessoa da história egípcia que minha mãe me contava. Já havia visto sua foto em uns livros antigos, mas eu não conseguia me lembrar do seu nome. Enquanto eu pensava ela se aproximou de mim sem eu perceber com uma velocidade incrível e quando me dei conta já estava sendo jogado no ar por um golpe direto no estomago com aquela arma esquisita.

Cai no chão sem ar, minha barriga doía devido ao golpe que eu havia levado. Levantei-me o mais rápido que podia enquanto a mulher permanecia no mesmo local com um sorriso no rosto. Minha irritação estava crescendo cada vez mais. Ela era muito forte, como eu poderia derrota-la? Olhei para as arvores que haviam ali perto e um plano veio em minha mente, usando minha velocidade fui até lá. A mulher me seguiu cautelosa, mesmo ganhando ela ainda mantinha se prevenida. Planejava usar as arvores como uma vantagem. Escondi-me atrás de uma arvore sabendo que ela havia visto onde eu havia ido. Fui para outra arvore enquanto a mulher fez uma coisa que estragou completamente o meu plano. Ela cravou suas garras na arvore mais próxima a ela e começou a escalar. Assim que ela chegou no topo a mesma começou a me procurar e conseguiu achar-me em poucos segundos. De lá de cima ela podia ver tudo o que tornava tudo inútil. Ela pulou de arvore em arvore, em seguida em cima de mim. Cai no chão enquanto a mulher levantava sua arma pronta para dar o golpe final, mas antes que ela fizesse isto cravei a lamina do canivete em sua perna a fazendo urrar de dor, dei um empurrão em seu peito a fazendo sair de mim e me afastei saindo de perto das arvores.

Meu plano não havia funcionado e agora eu teria que pensar em outra coisa. Aquele corte em sua perna não pareceu ser nada, pois a mulher continuava andando apenas mancando. Ela parecia estar com um ódio de mim, eu dizia isto apenas pela sua expressão. Pisquei e quando olhei novamente ela não estava mais lá e sim me dando um golpe na barriga com sua arma, em seguida ela cravou suas garras em meu peito rasgando minha camisa e causando uma dor enorme. Dei um chute nela para me afastar da mesma. Droga, aquilo não estava indo nada bem. Enquanto pensava nisso a identidade dela ainda me incomodava, eu queria lembrar o nome dela. Era alguma coisa que começava com “Bas”, mas o que seria? Engoli em seco. Havia me lembrado do nome, ou pelo menos achava que era este. Não sabia porque estava fazendo isso, mas abri minha boca e disse:

Você é Bastet.

Ela me olhou com uma expressão de surpresa estampada em seu rosto, mas logo se recuperou e voltou a sua expressão ilegível. Pude notar uma coisa diferente aparecer em seu ombro. Era uma imagem, lembrei que era a mesma imagem que eu havia tocado na parede da loja abandonada. Enquanto eu me perdia em meus pensamentos mais uma vez Bastet se aproveitou, ela já estava atrás de mim e ia desferir o ataque final, contudo desta vez eu estava preparado, usando a lamina do canivete fiz um corte em seus dedos que a fez deixar sua arma cair, em seguida cravei a lâmina no local que estava a imagem, no mesmo momento Baset deu um grito de estourar os tímpanos, parecia que o dano havia sido bem maior do que deveria ser. Dei um sorriso sem achar graça, mas ela foi mais esperta e mais rápida, ela cravou suas garras em minha perna e desta vez foi a minha vez de dar um urro de dor. Me afastei um pouco atrapalhado pela dor na perna, Bastet parecia estar se recuperando ainda do golpe, então resolvi me aproveitar da situação.

Rapidamente ataquei ela e quando ia cravar a lamina nela novamente a mesma me deu um soco no rosto, ela recuperou sua arma e veio para cima de mim, ela desferiu um ataque com a arma direto em meu pescoço que teria me matado se eu não botasse o braço na frente, assim que sentia a dor soltei um grito enquanto ela mexia a arma em meu braço causando mais dor, com dificuldade segurei o canivete com mais força e cravei-o no mesmo lugar de antes, em cima da imagem. Dei uma joelha da em sua barriga e cravei a lamina do canivete em seu pescoço. Ela se mexeu uma vez e ficou mole. Morta. Joguei-a para o lado e continuei deitado no chão respirando fundo. Aquela fora a batalha mais dura que eu já havia enfrentado em toda a minha vida. Continuei olhando para o alto, olhei para o corpo dela meio receoso, queria beber seu sangue, mas poderia ser perigoso, portanto me segurei e esperei para ver o que iria acontecer.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: O Enigma de Osíris ~Missão~    

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O Enigma de Osíris ~Missão~
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Missão de Alexia
» Bingo Book Missões
» Missão 5: O sorriso que não estava lá
» Missão de rank C - Aula de Ninjutsu!
» Missão 3: A procura de Ivo

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
The Other Side :: África :: Egito-
Ir para: